“Basta ser você mesmo” é preguiça intelectual

Publicado por em

Imagine que você tem um encontro com uma garota hoje a noite e se sente inseguro.

Daí você resolve perguntar para um amigo o que fazer. Afinal, faz muito tempo desde que saiu com uma mulher pela última vez. Ele te responde que tudo é muito simples: basta ser você mesmo.

Você certamente já ouviu esse conselho antes. Provavelmente já te disseram isso muitas vezes. Mas infelizmente, um mau conselho repetido inúmeras vezes não o torna um bom conselho.

A ideia de que apenas precisamos agir naturalmente é bobagem porque nos deixa confortáveis dentro da nossa zona de conforto. Se os seus últimos encontros foram exatamente como você queria, está bem que você continue apenas sendo você mesmo.

Mas se nas últimas vezes que saiu com uma mulher, ela estava entediada depois de alguns minutos de conversa, há alguma coisa que pode melhorar.

Seu amigo, sabendo que você fala mais que pobre na chuva, poderia te falar para ouvir a mulher. Ou sugerir que você a encontre num lugar mais descontraído. Tudo isso seria mais útil do que simplesmente soltar um “basta agir naturalmente e ser você mesmo”.

Gostou deste artigo? Está solteiro? Quer descobrir como funciona a arte da conquista? Clique aqui e conheça meu novo livro.

Grande abraço,

Eduardo Santorini

— Eduardo Santorini