≡ Menu

Sobre

O Atitude.com é um projeto de desenvolvimento pessoal com a missão de inspirar homens a se tornarem mais confiantes, carismáticos e atraentes. Hoje já somos uma comunidade com mais de 1 milhão de leitores por mês.

Deixe eu me apresentar. Sou Eduardo Santorini e semanalmente publico novos artigos por aqui. Mas antes que você me pergunte: não sou o cara mais atraente ou carismático do mundo. Na verdade bem longe disso. Nasci numa pequena cidade no interior de Minas e sempre fui um cara bem tímido. Daqueles que ficam com a cara vermelha de falar com alguma garota.

E você deve estar se perguntando… Tá bom, mas de onde veio a ideia do projeto?

Há alguns anos atrás eu tava apaixonado por uma garota e não sabia o que fazer. Depois de algumas semanas tentando me declarar, finalmente escrevi uma carta melosa acompanhada de uma caixa de bombons. Imaginava que seria o suficiente para ela se interessar. Mas não foi bem assim que aconteceu. Ela parou de conversar comigo e pouco depois começou a sair com outro cara.

Fiquei arrasado por um bom tempo. Mas essa experiência me fez perceber que eu precisava entender como funcionava a cabeça das mulheres. Não compreendia porque ela estava saindo com aquele babaca. Eu era tão romântico, não fazia sentido!

O velho conselho de que basta ser você mesmo simplesmente não funcionava comigo. Comecei a vasculhar a internet à procura de materiais sobre conquista e relacionamentos e, depois de um tempo, percebi que a “lógica do amor” era muito diferente do senso comum.

Durante esse tempo eu vi de tudo. Dos conselhos mais brilhantes até os mais estúpidos. E com o tempo eu finalmente percebi que conquistar uma garota não tem nada a ver com talento ou um dom natural. Ser atraente para uma mulher é apenas um tipo de habilidade e como qualquer tipo de habilidade pode ser aprendido.

Depois de compreender alguns princípios básicos, eu passei a ter muito mais confiança para conversar com as garotas. Lembro perfeitamente de um dia que fui para um bar com alguns amigos da faculdade. No balcão tinha uma morena muito gata e eu decidi que queria conhecê-la.

Eu fui até ela e em menos de 3 minutos de conversa ela tava anotando o número dela no meu celular. Isso foi num bar bastante badalado e ela estava sendo abordada durante toda a noite. Se você me perguntasse se eu seria capaz de fazer isso alguns meses antes eu teria falado: sem chance! Mas agora eu sou capaz de fazer isso com naturalidade.

A partir daquele momento eu percebi que já não era mais o “patinho feio” da turma. Mesmo sem ser o cara mais extrovertido ou bonito eu conseguia me aproximar e despertar o interesse das mulheres. Estava tão entusiasmado com o assunto que decidi iniciar o projeto Atitude.com.

Hoje temos alguns milhares de acessos no site todos os dias! Não há preço que pague a satisfação que tenho ao receber o depoimento de um leitor que conseguiu um novo emprego ou conquistou a mulher da sua vida. Aqui listo alguns pilares que hoje norteiam o projeto:

– Acredito que qualquer habilidade pode ser aprendida. Ser atraente é uma habilidade social e, como qualquer habilidade, pode ser aprendida. Assim como você não nasceu sabendo como dirigir um carro ou como tocar um instrumento musical, você também pode se tornar mais confiante, carismático ou atraente.

– Não tenho todas as respostas. Ao contrário de alguns autoproclamados “gurus”, não sou nem pretendo ser o dono de todas as respostas. Tudo que está neste site eu aprendi através de livros, conversas com amigos, ouvindo meus leitores e até mesmo sendo rejeitado! Mesmo após mais de 7 anos no projeto, ainda estou aprendendo coisas novas.

– Transparência. Hoje existem especialistas que prometem resolver todos seus problemas. Ou pior! Alguns prometem ensinar técnicas de manipulação, jogos mentais e até falar mentira para levar uma mulher para cama. Acredito que a única forma de desenvolver relacionamentos saudáveis é sendo totalmente transparente, sem tentar enganar ou manipular. Cuidado com as promessas milagrosas que você encontra pela internet. Especialmente daqueles que se escondem atrás do anonimato para falar besteiras de forma irresponsável.