Quem é Eduardo Santorini? (A história dos bastidores)

Eduardo Santorini durante entrevista no programa The Noite, com Danilo Gentili (Foto: Gabriel Cardoso / SBT)

Não sou o cara mais atraente ou carismático do mundo… na verdade, muito longe disso.

Nasci numa pequena cidade no interior de Minas e sempre fui um cara tímido. Daqueles que sente a cara ficar vermelha ao conversar com uma garota num bar.

Minha timidez era tanta que uma vez cheguei numa festa antes dos meus amigos e fiquei “escondido” no banheiro, esperando algum conhecido chegar.

Situações banais para aqueles caras mais desembolados, era missão impossível para mim…

  • Perceber que uma garota está interessada, mas arrumar uma desculpa qualquer para não puxar assunto;
  • Sair para um encontro e ficar travado, com a boca seca, sem saber o que falar (o gato comeu sua língua?);
  • Ir numa festa e não conseguir me enturmar, conhecer novas pessoas, ser sociável…

Mudavam os lugares, mas a história era sempre a mesma.

Eu estava cansado de ser ignorado pelas mulheres… decidi que era hora de mudar!

Eu devorei uma tonelada de artigos na internet, livros, participei de workshops, entrei para academia, fiz clareamento dental… até cheguei a fazer fono para tentar dar um jeito na minha voz “fanha”.

Gostaria de dizer que esta foi uma jornada divertida e fácil, mas não foi. Muitos dos livros, somente reproduziam velhos clichês da autoajuda — “seja você mesmo”, “aja naturalmente”, “o que tem que ser, será”.

(pura masturbação mental)

Tudo aquilo que eu tentava fazer para ter uma aparência melhor: roupas novas, dentes brancos, músculos … nada disso me ajudava a ser mais confiante com as mulheres. Eu continuava o mesmo cara de sempre — tímido e inseguro.

Mas por mais difícil e solitário que fosse essa jornada, eu estava decidido a mudar. E assim aconteceu…

Alguns meses depois, estava num bar com alguns amigos da faculdade.

No balcão tinha uma morena muito gata e eu decidi que queria conhecê-la. Eu fui até ela e em menos de 3 minutos de conversa ela tava me passando o contato dela.

Isso foi num bar bastante badalado e ela estava sendo abordada durante toda a noite. Se você me perguntasse se eu seria capaz de fazer isso alguns meses antes eu teria falado:

SEM CHANCE!

A partir daquele momento eu percebi que já não era mais o “patinho feio” da turma. Mesmo sem ser o cara mais extrovertido ou bonito eu conseguia me aproximar e despertar o interesse das mulheres.

Por sugestão de um amigo, em meados de 2008, eu criei o site, Atitude de Homem — que depois se tornou Atitude.com.

Com muito trabalho — e uma dose de sorte — o projeto cresceu e se tornou um dos sites sobre conquista e relacionamentos mais acessados do Brasil.

Quando comecei o projeto, sozinho, do meu quarto, não tinha menor ideia que, 10 anos depois, eu teria milhares de leitores mensais e seria convidado para entrevistas em alguns dos maiores programas de TV…

… para citar alguns.

Algumas vezes eu ainda não consigo acreditar nisso — porque enquanto grande parte do mundo enxerga Eduardo Santorini como empreendedor, autor de livros e coach bem sucedido…

… eu ainda me lembro daquelas situações constrangedoras onde eu gaguejava e não conseguia falar uma única palavra!

Momentos em que eu só passei vergonha.

“Dá mesmo pra aprender a conquistar uma mulher?”

Ser atraente é uma habilidade social e, como qualquer outra habilidade, pode ser aprendida. Assim como você não nasceu sabendo como dirigir um carro ou como tocar um instrumento musical, você também pode se tornar mais confiante, carismático ou atraente.

Conquistar uma mulher é somente mais uma habilidade.

Ser atraente é muito diferente de ser bonito. Um cara pode não ser considerado bonito e, ainda assim, ser extremamente atraente. Ou, ser um sujeito “bonitão”, mas que não consegue pegar nem gripe.

O que realmente faz a diferença é a atitude do homem.

Como?

Existem diversos gatilhos de atração que, quando usados, deixam o homem “irresistível” aos olhos das mulheres.

Os 5 ingredientes mais importantes são: confiança, humor, prova social, sexualidade, surpresa.

Cada um destes ingredientes para atrair uma garota pode ser aprendido por qualquer homem… não importa a idade, se é tímido, extrovertido, alto, baixo.

“Por que a maioria dos homens nunca aprende a paquerar?”

A dura verdade é que… infelizmente… a maioria dos homens nunca aprende absolutamente nada sobre conquista e relacionamentos.

Eles não sabem nada sobre como ter carisma, causar uma boa primeira impressão, deixar a mulher atraída durante a conversa nem como interpretar a linguagem corporal da mulher.

Todos esses são conhecimentos essenciais, que deveriam ser automáticos para todos nós, mas que nunca nos ensinaram … e os poucos caras “naturais” que sabem, preferem guardar estas armas a sete chaves.

Mas isso não é tudo.

Também tem um outro problema: mentalidade.

O ponto cego que não enxergamos (nossas crenças limitantes)

Todos nós temos crenças… algumas boas e outras que podem estar nos impedindo de fazer as coisas que gostaríamos, sem que a gente nos dê conta. É como um vírus de computador.

Quando eu comecei a estudar habilidades sociais, tive que enfrentar 3 dessas crenças que, me sabotaram durante anos, sem que eu percebesse.

Identificar estas 3 crenças no meu “sistema operacional”, me libertou para novas possibilidades, que eu não sabia que eram possíveis antes.

Quero compartilhar estas 3 crenças com você agora.

Crença limitante #1: “Ser atraente é um dom”

Eu acreditava que conquistar uma mulher é algo que tinha que “deixar rolar”… que eu não podia fazer nada, se eu não tivesse nascido sabendo a arte de xavecar.

Essa é uma bobagem!

É como um sujeito, que nunca pisou numa academia, dizer que “não é forte”. Claro que não, ele precisa treinar! Ninguém nasceu com 40 cm de bíceps!

A atração é um tipo de habilidade social que pode ser treinada, da mesma forma que desenvolvemos nossos músculos numa academia.

Crença limitante #2: “Mulher gosta é de dinheiro”

Não, mulher gosta é de homem que a faça se sentir segura.

O dinheiro é apenas uma das formas que o homem tem para fazer a mulher se sentir protegida. Existem diversas outras. Começando pela sua confiança (é a base de todos os gatilhos da atração).

Existem caras com grana e que são inseguros e carentes… da mesma forma que existem caras normais, como eu e você, que têm uma confiança espartana — e por isso, têm mais facilidade na conquista.

Crença limitante #3: “Faça tudo que puder para agradar à mulher”

Não, não e não!

Caras que são bonzinhos demais, só se fodem. Eles fazem tudo o que a mulher quer e, rapidamente, se tornam capachos.

A atração não é um processo lógico. Você não irá despertar qualquer “faísca sexual” comprando presentes, levando pra jantar e fazendo todos os favores.

O cara que se comporta assim está com os dias contados: ou ficará eternamente preso na friendzone ou pior, será usado para satisfazer às demandas da mulher por anos.

Está na hora de mudarmos isso…

Está solteiro? Quer descobrir como funciona a arte da conquista? Clique aqui e conheça meu novo livro.

Grande abraço,

Eduardo Santorini

— Eduardo Santorini