17 estratégias para fazer amigos na vida adulta, de acordo com a ciência

Publicado por em

A fórmula para fazer amigos parece moleza: encontre alguém com interesses comuns, passe tempo junto e compartilhe momentos agradáveis.

Depois de algumas noites de bebedeira e de boas histórias, vocês se tornam bons amigos, certo?

Não exatamente.

Tem uma coisa que é diferente para fazer amigos depois que você sai da faculdade ou se muda para uma nova cidade… você deixa de estar rodeado por pessoas da sua própria idade, experimentando as mesmas coisas ao mesmo tempo.

A dura realidade é que quando chegamos à vida adulta, fazer amigos se torna cada vez mais difícil.

Hoje as pessoas estão mais sozinhas do que nunca. Mesmo com centenas de “amigos” no Facebook, maioria das pessoas tem menos companheiros do que o ideal. (Foto: Phil Coffman / Unsplash)

Por que é tão difícil fazer amigos depois dos 30 anos?

A vida muda. Saímos da faculdade, casamos, temos filhos, precisamos dedicar mais ao trabalho. Aumentam nossas responsabilidades e o tempo livre para os amigos desaparece.

Temos muitos conhecidos, mas poucas pessoas que realmente podemos chamar de amigos.

Muitos só se dão conta do quanto estão sozinhas depois de uma separação. Estão enfiados num relacionamento, dedicam 100% do seu tempo ao parceiro e, quando se separam, finalmente cai a ficha de que não têm nenhum amigo por perto.

Para complicar, quando nos amadurecemos, nossos dias de exploração da juventude somem. Prioridades mudam, as agendas encolhem e nos tornamos mais seletivos com as pessoas que nos aproximamos.

Conhecemos muitas pessoas, mas a sensação de distância é cada vez maior. Sentimos que mal temos tempo para os velhos amigos. E assim vamos tocando a vida, cada vez mais isolados.

Por que ter amigos é tão importante?

Décadas de estudos mostram que amizade não é apenas um luxo. É uma necessidade.

De acordo com uma pesquisa, ter poucos amigos ou ter um círculo social frágil é um risco para sua saúde. Para ser mais preciso, equivale a você fumar 15 cigarros por dia!

Talvez você tenha uma saúde de ferro e não está batendo cabeça com isso. Ok, ok… Mas você quer que sua vida seja mais divertida, certo?

Ter amigos também nos deixa mais feliz. Cientistas dizem que cerca de 70% da felicidade das pessoas vem de seus relacionamentos.

Segundo o estudo, os principais elementos para a felicidade são: número de amigos, proximidade com os amigos, proximidade com a família e relacionamentos com colegas de trabalho e vizinhos.

A conclusão é simples: ter amigos nos faz viver mais e melhor.

Amizades não são imutáveis… perdemos amigos com o tempo

Você ainda tem contato próximo com todos seus amigos de infância? Com seus colegas de faculdade? Do seu antigo trabalho? Provavelmente não.

Um cientista holandês, que acompanhou cerca de mil pessoas das mais diversas idades, descobriu que perdemos metade do nosso círculo mais próximo a cada 7 anos.

Isso significa que metade das pessoas que você tem na sua lista de favoritos no WhatsApp hoje, já não estará mais por lá daqui a alguns anos.

Essa é uma realidade assustadora, que nos leva a perguntar…

Quantos amigos próximos eu realmente preciso?

Segundo a ciência, 5 é o número ideal. Você precisa de 5 bons amigos para viver mais e estar plenamente satisfeito com seu círculo social.

Mas para entrar neste grupo, não podem ser meros conhecidos, colegas de trabalho ou amigos casuais.

Se tiver alguma dúvida para saber quem é realmente próximo, basta se perguntar quais amigos você poderia ligar em caso de emergência.

Se você tem intimidade o suficiente para incomodá-lo às 2h da manhã, sem se sentir constrangido, este é um bom amigo. Mas se for um parceiro apenas para assistir a um jogo do Flamengo no domingo à tarde, provavelmente estará mais para um amigo casual.

Hoje as pessoas estão mais sozinhas do que nunca. Mesmo com centenas de “amigos” no Facebook, maioria das pessoas tem menos companheiros do que o ideal.

Mas o que é preciso para que se forme uma amizade?

Boa pergunta. Vamos aos detalhes…

Três ingredientes essenciais para formar uma amizade

Existe uma fórmula simples para fazer amigos, que foi desenvolvida por um grupo de sociologistas na década de 50 e que continua atual — mesmo tanto tempo depois. (Foto: Roman Mager / Unsplash)

Para construir uma amizade você precisa de apenas 3 ingredientes. São eles…

  • Proximidade. Estar fisicamente próximo de uma pessoa por extensos períodos de tempo. Esse é o alicerce que leva à amizade. Pense nos seus amigos de colégio ou da faculdade depois que vocês se formaram. Quantos deles você ainda tem contato? Trocar mensagens pode até ajudar, mas não é o suficiente. Com o tempo, a amizade se torna cada vez mais distante se não há proximidade.
  • Frequência. Você precisa de repetidas interações com alguém antes que se forme uma amizade. Isso explica por que a maioria das nossas amizades são formadas na escola. Encontramos com nossos colegas todos os dias. E levamos a amizade para fora da sala de aula, fazendo outras atividades. Depois de alguns anos, encontrando a pessoa todos os dias, a amizade acontece naturalmente.
  • Vulnerabilidade. Você não se tornará melhor amigo de ninguém falando sobre o tempo. Para formar uma amizade é preciso que estejam num ambiente em que podem baixar a guarda, serem espontâneos, compartilhar segredos, contar piadas. É por isso que é mais fácil você fazer um amigo durante um churrasco na sua casa, tomando uma breja… do que no escritório da empresa.

17 estratégias práticas para fazer amigos na vida adulta, de acordo com a ciência

Tendo estes 3 ingredientes em mente, finalmente vamos para a parte mais excitante deste artigo… como que você pode colocar tudo isso em prática para encontrar e manter amigos por toda a vida?

1. Reconecte-se com velhos amigos. Este é o jeito mais fácil de começar. Mesmo que você não tenha muitos amigos, certamente tem um punhado de conhecidos que por um motivo ou outro acabou se afastando.

Dê uma olhada na sua agenda ou nos seus seguidores do Instagram e pense nas pessoas que têm potencial para se tornarem amigos. Reaproxime-se dessa pessoa e a convide para “tomar uma”. (Proximidade é o primeiro passo, lembra?)

2. Fale dos interesses dos outros. Muitos acreditam que fazer amigos trata-se de “impressionar os outros”. Engano. Fazer as pessoas gostarem de você tem mais a ver com “se sentir impressionado” pelos outros.

Pergunte sobre a carreira, família, a última viagem que a pessoa fez. Deixe a pessoa te impressionar. Escute mais. Este é um dos princípios ensinados pela clássica obra de Dale Carnegie, “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

3. Busque similaridades. Encontre coisas em comum com as pessoas. Quanto mais específico for este interesse, melhor. Descobrir que a pessoa também torce para o Flamengo é um início… mas descobrir que os dois colecionam selos antigos pode ser tema para uma longa e “empolgante” conversa (empolgante aqui é relativo). Gostamos de gastar tempo com pessoas que se parecem com a gente.

4. Fale de coisas íntimas. Falar de assuntos pessoais é um sinal de que você confia na pessoa. Pedir conselho para um tema delicado é uma demonstração de que você valoriza o que a pessoa pensa. Não esconda sua vulnerabilidade. Lembre-se de que este é um dos 3 pilares para formar uma amizade.

5. Mantenha contato. Não seja um estranho para seus amigos. Se você costuma ficar um tempo “sumido” será difícil formar uma amizade. De acordo com um estudo, o mínimo de contato que você precisa é uma vez a cada duas semanas. Mas tenha em mente que, para construir uma amizade, você precisará de muito mais tempo que isso.

6. Crie um grupo. Se parece muito trabalhoso encontrar frequentemente com cada um dos seus 5 amigos, organize um grupo. Isso facilita sua vida, já que você não precisará se programar para encontrar com cada um deles separadamente. Pode ser um grupo que se reúne toda semana para jogar futebol. Ou podem formar uma banda de rock. Ou, se você não curtir futebol nem música… bem, você entendeu a ideia.

7. Tire a bunda do sofá. Se você deseja fazer novos amigos, terá que sair de casa. Gastar o final de semana fazendo maratona na Netflix não te ajudará a criar um círculo social. Busque atividades sociais onde possa conhecer pessoas. Esportes coletivos, grupos de igreja, aulas de dança, clubes de leitura, viagens, cursos de final de semana — são apenas alguns pontos de partida.

8. Convide para o happy hour. Certamente você conhece um bocado de gente por causa do seu trabalho. Mas para transformar seus colegas de escritório em “bons amigos”, você precisa sair do ambiente formal de trabalho. Comece com um convite para o happy hour. Com o tempo, se tudo sair bem, poderão planejar viagens juntos e encontrar outras formas de passar mais tempo fora do ambiente profissional.

9. Abra sua casa para receber amigos. Promover eventos sociais na sua casa é uma das melhores formas de criar um círculo social íntimo. Pode começar recebendo pessoas realmente muito próximas para um jantar. Se tiver espaço, um churrasco com os amigos sempre é bem-vindo.

10. Explore eventos na sua cidade. Use sites como o Sympla ou o Meetup para explorar o que está rolando na sua cidade. É uma forma de conhecer pessoas com gostos semelhantes e se divertirem juntos.

11. Acostume-se a pedir o contato das pessoas que conhecer. De nada adianta você ir a um evento, conversar com monte de pessoas legais, mas deixar a conversa morrer ali. Quando conhecer uma pessoa bacana e sentir que existe “química” para formar uma amizade, encontre formas de manter contato. Perguntar pelo perfil no Facebook ou Instagram deve ser um hábito.

12. Faça planos detalhados. Não seja mais uma daquelas pessoas que dizem, “vamos arrumar algo algum dia desses”. Traduzindo: vocês não voltarão a se encontrar tão cedo. Se você realmente quiser agitar sua sexta à noite, dê uma olhada no que está rolando na cidade e faça um convite mais específico. Algo como… “Estou a fim de ir ao novo pub que abriu na Savassi nesta sexta depois do trabalho. Anima? Dizem que as cervejas artesanais são excelentes e… eu sei que você adora IPA.” Sim, este é um plano bem melhor do que apenas dizer, “vamos arrumar algo”.

13. Se apresente para seus vizinhos. A maioria dos seus vizinhos nunca se tornarão seus amigos. Diferenças de idade, interesses, filhos… tudo isso pode ser um complicador. Ainda assim, vale a pena se apresentar e conhecer um pouco os vizinhos. Se você for novo no prédio ou na cidade, ainda melhor. Pode pedir “dicas” sobre a vizinhança, que sempre é uma boa forma de puxar assunto e, pela minha experiência, todos adoram ajudar.

14. Use Instagram para manter contato. No mundo ideal, o contato com os amigos — novos e antigos — deve ser frequente e em “carne e osso”. Mas temos que admitir que isso nem sempre é possível. Por isso, use seu Instagram (ou Facebook) para manter contato e saber o que está rolando na vida dos seus amigos. Comente nas publicações, mande mensagem, interaja. Não é o ideal, mas é melhor que apenas desaparecer.

15. Não perca tempo com qualquer pessoa. Uma coisa que precisamos aceitar é que, assim como na paquera, nem todas as pessoas serão bons amigos. Se você é simpático com uma pessoa, sempre faz convites para eventos, comenta em todas as fotos do Instagram… mas o sujeito sempre arruma desculpas de tempo, que está muito ocupada — é melhor seguir em frente. Gaste sua energia com quem também está disposto a passar tempo com você.

16. Aceite convites. Seu amigo te chama para jantar numa quarta à noite, quando você só pensa em tomar um banho quente e se esparramar no sofá? Alguns eventos sociais parecem mais um “fardo” do que algo empolgante… mas, se realmente quiser fortalecer seus círculos sociais, deve fazer o esforço. Pare de dizer “não” a tudo no piloto automático ou, com o tempo, correrá o risco de ficar cada vez mais distante dos seus amigos.

17. Tome iniciativa. Para construir sua vida social, esteja disposto a dar o primeiro passo. Esteja pronto para fazer todo o esforço. Não fique em casa esperando alguém te fazer um convite para sair. Secretamente as pessoas adoram receber convites para fazer algo, especialmente se for algo que elas se interessem.

Algumas coisas para ter em mente (nem tudo serão flores)

Depois de conhecermos estas 17 estratégias para se fazer amigos na vida adulta, preciso te alertar para alguns desafios que você — provavelmente — encontrará no caminho.

Primeiro, entenda que fazer amigos leva tempo. Queria te mostrar uma fórmula para “trazer o amigo amado em apenas 3 dias”, mas desconheço tal façanha.

Você pode até fazer um punhado de “amigos casuais” em pouco tempo. Mas a dura verdade é que para nascer uma sólida amizade você precisará de tempo.

Tendo isso claro, você também precisa aceitar que nem todas as amizades darão em algo.

Aceite que, eventualmente, alguns amigos irão preferir se dedicar aos filhos, ao trabalho, vão mudar de cidade. Faz parte.

Como vimos, em 7 anos, metade dos seus contatos mais próximos já não estarão na sua agenda.

Mais uma pitada de realidade… estar num relacionamento amoroso não substitui suas amizades. São experiências diferentes. Cuidado para não dedicar 100% da sua vida ao seu parceiro e deixar que todos seus amigos se afastem de você.

Infelizmente, muitos só se dão conta do quanto ignoraram os amigos quando algo vai mal na relação e eles já não encontram um ombro amigo para chorar as mágoas.

Finalmente, um alerta para pessoas (como eu) que são introvertidas. Dizer “não” a qualquer convite é algo que já está no piloto automático para nós.

O resultado disso é que, com o tempo, corremos o risco de nos isolar dos nossos amigos. Cuidado! “Ser introvertido” é uma desculpa conveniente que usamos para nos isolar em nosso casulo.

Em resumo:

  • É mais difícil fazer amigos na vida adulta, depois que saímos da faculdade e já não temos tanto tempo livre.
  • De acordo com uma pesquisa, perdemos metade dos nossos amigos mais próximos a cada 7 anos.
  • Falta de amigos faz tão mal à saúde quanto fumar 15 cigarros por dia.
  • O número ideal de bons amigos é 5. E aqui não entram os colegas de trabalho nem os “amigos casuais”. Bons amigos são aqueles que você sabe que pode chamar às 2h da manhã, se precisar.
  • Para formar uma amizade, você precisa de 3 ingredientes: estar próximo, ter repetidas interações e trocarem informações íntimas. Você não se tornará parceiro de ninguém encontrando 2 vezes por ano e falando sobre o tempo.
  • Vimos 17 estratégias práticas para que você possa fazer novos amigos e também para manter seus velhos amigos — especialmente se você já tem as responsabilidades da vida de adulto.
  • Você não deve permitir que um relacionamento amoroso substitua seu círculo social. Alguns só se dão conta disso tarde demais.

Hora de parar de ler e se conectar com seus amigos.

Aproveite para mandar mensagem e se reconectar com algum velho amigo… conte alguma novidade, ofereça ajuda com algo ou compartilhe este texto.

Gostou deste artigo? Está solteiro? Quer descobrir como funciona a arte da conquista? Clique aqui e conheça meu novo livro.

Grande abraço,

Eduardo Santorini

— Eduardo Santorini